domingo, 27 de setembro de 2009

É pegar ou largar...


Sou incapaz de viver muito tempo na calma;
apaixonada por transformações, ansiosa e exigente.

Não me falta resistência nem energia
e dou tudo de mim em situações difíceis.

Lúcida, tenho espírito penetrante;
crítica e perspicaz (será?).
Determinada, concentrada, confiante.

Não me deixo influenciar, mando na minha vida,
portanto sou responsável pelo o que nela acontece,
independente de me elevando ou caindo.

Não gosto de ser contrariada,
nem que me indaguem dos meus motivos.
Forço situação; sutil, ardente, leal.
Ajudo, a mim ou aos outros, se eu quiser.

Vingativa, antagônica, sarcástica, violenta.

Auto respeito.
Não me preocupo com o que os outros pensam,
pois tenho uma boa opinião de mim
(o que não significa que é boa pra você).

Tenho-me como garantida. Julgo bem.
Quero segurança emocional. Tudo ou nada.
Ar impenetrável, face de jogador de pôquer.

Não esqueço quem me ajuda,
muito menos quem me prejudica.

Meus desafios são constantes, desde o financeiro ao sexual.
Ainda tenho que aprender a dar,
receber e compartilhar recursos e prazeres.

Sou ambiciosa (por vezes não aparente).
Espero oportunidades e pego-as imediatamente.

Olhar magnético, linguagem envolvente.
Ritmo biológico acelerado,
energia concentrada na expressão física, inquietação motora.
Vivo atraindo acidentes e morte brusca (morte não física).

Ação das emoções sobre a base corporal.
Inserção rebelde do ego aos contextos convencionais.
Reflexos rápidos e audácia provocativa,
caráter anti-conformista.
Temperamento vital-motor, humor paradoxal.
Pensamento engenhoso,
de fluxo intermitente e conteúdo experimental,
concentração dispersiva, memória seletiva.
Gostos elaborados, hábitos inusitados, moral transformadora.
Impulsos primários de rebelião criativa.
Tendência à imprudência.

Sensível, inconstante e erótica.
Sensualidade experimental intelectualizada.
Paixões ardentes e possessivas,
emoções e sentimentos poderosos e imaginativos.
Busca do novo e impensado.
Amor ciumento, obstinado e rancoroso.


NAYANE CALDAS

Um comentário:

Mario Auvim disse...

Longe de uma auto-crítica, mas sim um aviso: perigo!!!