sexta-feira, 4 de maio de 2012

"cidadão classe média"


"Cidadão Classe Média": você se omitiu e, um dia, a escola pública ficou ruim. Mas com um esforçozinho você colocou os filhos na escola particular. Você se omitiu e, um dia, a saúde pública ficou ruim. Mas com um esforçozinho você contratou um plano de saúde. Você se omitiu e, um dia, o transporte público ficou ruim. Mas com um esforçozinho você comprou um carro, depois outro. Você se omitiu e, um dia, a segurança pública ficou ruim. Mas com um esforçozinho você colocou grades e alarmes na casa e nos carros, foi morar em apartamentos, em condomínios fechados, contratou seguros e já está pensando num carro blindado. Você se omitiu e, um dia, a previdência pública ficou ruim. Mas, desesperado, com um esforçozinho você contratou uma previdência privada, na tentativa de fugir do pesadelo da velhice que não está longe. Você, "cidadão classe média", sempre pegou os problemas coletivos e os individualizou, dando a eles uma "solução particular". Você, "cidadão classe média", sempre "cagou e andou" para a floresta; você sempre se preocupou apenas com a "própria árvore". Você, "cidadão classe média", fez de cada grande problema coletivo uma batalha pessoal e nunca se importou com a guerra. Eu adoro quando você reclama, quando esperneia, quando chora, quando sofre! Acho que você, "cidadão classe média", tem mais é que se foder! E vê se pelo menos paga a mensalidade da escola, do plano de saúde, a prestação dos carros, o seguro e o ipva, a prestação do apartamento, o iptu, a taxa do condomínio, a mensalidade da previdência privada. Afinal, a gente sabe que você, "cidadão classe média", tem celular, ipod, mp3, dois cães de raça, etc, vai jantar fora, bebe vinho chileno (viva o pib do Chile!) e deixa na gaveta o boleto do condomínio e a fatura do cartão (vencidos, é claro!). Caso contrário, "cidadão classe média", você passará a ouvir, cada vez mais intensamente: ISTO NÃO LHE PERTENCE MAIS! E onde quer que eu esteja, estarei rindo muito (como rio com o programa da tevê) e pensando em você, "cidadão classe média", com todo o desprezo que você merece, pelo caráter egoísta da tua existência medíocre.
   
 
RAUL POUGH
    
(*) um texto de 2007.

Um comentário:

celia disse...

Em outras palavras... http://celiamota.wordpress.com/2011/02/27/cidadao-classe-media/